terça-feira, 28 de outubro de 2008

Ensaio Sobre o que Terminamos

Cabe aí, de modo sincero o meu desleixo para com as formas de escrever e falar, onde não sou funcional, onde estou disperso. Mas penso ser claro o suficiente este título, para que eu possa passar um pouco desse desleixo, desse desapego com normas e diretrizes.

Estou cansado, e neste fim de vida, sinto os efeitos colaterais de ter ido embora. Sentirei saudade das coisas que deixei, coisas materiais e de pouco valor comercial, que fizeram os mais ternos detalhes de minha vida lá. Também sentirei saudade de coisas maiores, como a cama em que dormi, a cama em que sonhei e me deixei levar por devaneios.

Mas basta de saudosismo, pois o mesmo muito me incomoda quando penso no motivo pelo qual deixei tanta coisa pra trás. Seria motivo de orgulho ou de vergonha dizer que saí por amor próprio? Por saber que estava cansado demais pra combater? Seria por prever que o mundo me chutaria, antes mesmo de eu tentar chuta-lo?

É essa a dura verdade, saí sofrido e sem querer sair, mas saí pois havia perdido ali meu aconchego, o meu toque. Não foram sinceros também os motivos de parte alheia que me obrigaram a sair. Foram confusos e dissimulados.

Agora faço de minha vida algo que poucos arriscam fazer: insisto! enfrento!
E a troco de que revogo minhas mágoas? A troco de quê???
Estou cansado, e a verdade é essa... no ponto em que cheguei, pouco de mim se encontra em terra, pouca alma, grande angústia. O peito aperta, o ódio flui... o ódio sempre fluiu, correu em minhas veias solenemente, e agora se confunde, tanto quanto a mim, quanto à moradia que deixei.

Não precisava tanto, nem tanta explicação pra me fazer mais infeliz, já bastava o afastamento! Agora essa cicatriz não quer fechar, e todos teimam em cutuca-la, talvez pra ver meu sangue jorrar...
Detalhes insípidos, coisas que me destroem....

Sou um joguete do destino, agora quero dormir em paz...

2 comentários:

Dony Lara disse...

Não se desiluda com o passado, o presente é existente e a base de um futuro que brilhará.

Bruno disse...

a ferica pode cicatrizar, mas depende só de você analizar o porque ela naum esta fecha!?!