quarta-feira, 22 de outubro de 2008

O amor não exite, bem como também não existe a monogamia, bem como o fato de sermos apenas carne.
Não é bem assim! Não é que o amor nunca existiu! Não, o amor morreu! O coração explodiu em mil partículas. Negue a si mesmo o fato de nunca ter amado de verdade, pois é humano negar, é mais amável! Ironicamente, amamos até constatarmos que o amor não existe.

Existe a teatralidade, existem os jogos de interesse. Não? Basta fechar os olhos para ver, ou não ver mais. Sabe o que existe? Sabe o que é possível e passível? O toque.

O toque é mais que o amor, e também menos, bem menos, pois apazigua a luta entre cérebro e coração. O toque é a luxúria, e o que mais há de prazeroso no mundo?
A luxúria é andar descalço, é sentir o sabor salgado da pele, é sentir o calor brotar de dentro pra fora, entorpecer.

O amor busca conciliar os sentidos com algo superior. Talvez por possuir essa fórmula tão frágil o amor morra. Sim, e ele as vezes morre de forma bela, mas tende a transformar-se em ódio, não da carne, mas ódio dos sentimentos.

Basta a suave brisa da palavra para desbar muros que só o amor construiria. O amor é trágico, e sem o ser, é amizade, ou então não teríamos Romeu e Julieta.

Que faz o amor, senão trazer paz que não dura ao espírito? Que faz ele senão ludibriar e tirar a fome?

Que fazemos nós, quando morre o amor próprio?

2 comentários:

Bruno disse...

Formatar a memoria e começar tudo outra vez!
ou pensar que vc esta aqui na terra só para desfrutar de sentimentos, bons e ruins, depois morrer!!!! (tipo de um bonus que Deus te deu).

________________________________
Andarilhos acoólatras para
"O dia que o Lut chorou!"

theL disse...

o amor existe.. mesmo q dure dias, anos, ou uma vida, ele existe.. e é eterno enquanto dura..

o toque digamos q é a consumação do amor.. se não há qqr especie de afago entre uma mãe e seu bebe, por exemplo, o bebe fica desprotegido (é provado cientificamente q um simples toque pode curar pequenas doenças, tanto do corpo, qt do "coração")..
pra mim, se não há o toque, não há um amor verdadeiro..